Enfiai lá as frases pomposas no devido orifício…

“O Governo dará este domingo “uma informação” relativa à “aplicação de uma condição de recurso sobre as pensões de sobrevivência”, durante o Conselho de Ministros que discutirá o Orçamento para 2014.”

Mania de usar palavras “caras”…grandes frases para dizer o “Óbvio”- entenda-se “óbvio” como sinónimo de “Olhai …estais é £@£€{#”, palavras já tão habituais… nas habituais comunicações deste nosso governo.

Pensão de sobrevivência que tanto incomoda os nossos governantes.

Mas não lhes dá pensar em cortar as reformas dos que nadam em dinheiro.

Que se têm dinheiro trabalharam para isso, foram empreendedores….(dirão alguns)

Do mesmo modo o comum cidadão que gere as suas despesas com parcos recursos trabalhou uma vida para ter …migalhas! (Digo eu)

Portanto, meu senhores, enfiai lá as frases pomposas no devido orifício e depois tomai um laxante!!!

TRAPALHADA: só mais uma, deste Governo Nosso!

E continuo a dizer que Mangualde foi prejudicado propositadamente.

É que nem a pontuação, (mais de 60 pontos) nem os restantes critérios alegadamente aplicados obstariam a que Mangualde ficasse sem Educação de Adultos.( critérios já de si “manhosos” e cálculo da pontuação que pelo menos eu desconheço)

Concentrar 3 centros em Viseu, obrigando os adultos a deslocarem-se, é mais um ataque aos cidadãos do distrito.

Espero bem que alguém reclame com “unhas e dentes”!

A Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) aprovou 206 candidaturas para a constituição dos novos centros que vão substituir as estruturas do programa Novas Oportunidades, quase o dobro do máximo que tinha sido anunciado antes pelo Governo para integrar a nova rede.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/centros-que-substituem-novas-oportunidades-serao-o-dobro-do-anunciado-pelo-governo-1608121

Respeito e despeito… e Mangualde em "espera"!

Fui buscar as palavras de Acácio Pinto por estarem tão atuais….
A mania que este Governo tem de colocar de lado tudo quanto vinha do anterior Governo – independentemente de ser positivo, do seu sucesso e  de lhe serem tecidos elogios a nível internacional….

Foi o caso dos Centros Novas Oportunidades – educação de adultos!

Mangualde tinha e teve, desde o início a funcionar, no Agrupamento de Escolas de Mangualde, um Centro Novas Oportunidades que dava formação a um leque variado de imensa população que, a seu tempo e por motivos diversos, não tinham tido possibilidades de concluir seus estudos, sua formação.
O CNO fechou. O Governo Lança os CQEP – Centros para a Qualificação e o Ensino Profissional. A candidatura foi feita. Resta aos mangualdenses esperar para saber se no lugar do CNO vai haver um CQEP.
Diga-se que estes Centros são uma mais-valia para a região pois dão formação à população local mas também a inscritos de Seia, Nelas, Penalva do Castelo, etc…
A não abertura de um Centro para a Qualificação e o Ensino Profissional representa, para Mangualde, um retrocesso uma vez que todos os possíveis interessados terão de se dirigir a outra cidade, a outras escolas para ter essa Formação.
Se nos últimos anos os formandos se dirigiam às instalações da Escola EB2,3 Ana de Castro Osório, em Mangualde…a não abertura de um Centro na cidade, nomeadamente numa escola do Agrupamento vai fechar as “portas” aos adultos que querem completar a sua formação e representa o virar da página sobre um projeto que tinha tudo para fazer orgulhosos os Mangualdenses.

Aguardemos, pois!

Um pouco…perto demais!

“O Governo grego de Antonis Samaras conseguiu a aprovação de um novo pacote de medidas de austeridade exigidas pela troika (Comissão Europeia, BCE e FMI) para continuar a financiar o país. Até 2015 poderá despedir até 15 mil funcionários públicos.

As 109 medidas aprovadas no Parlamento pela margem mínima e com os votos contra de toda a oposição abrem um precedente histórico na Grécia que pela primeira vez poderá realizar um despedimento maciço de funcionários públicos.

Até 2015 poderão ser até 15 mil pessoas a perder o emprego na função pública, com a troika a pedir os primeiros quatro mil despedimentos já este ano.”

DN

E nós não estamos a seguir pelo mesmo caminho?

Será prudente continuarmos no rumo que levou Vítor Gaspar a admitir que havia falhado?

Já há famílias inteiras a passar fome; famílias a emigrar; pessoas a ser despedidas; idosos cada vez mais isolados e carenciados; o SNS cada vez mais a dar menos respostas a quem mais precisa. Pode dizer-se:” Isto não é senão conversa de café, sem nada de substancial.” Pode até ser…mas tem, na essência, aquilo que o comum dos portugueses sofre no seu quotidiano: fome, incerteza, medo …

Não tenho números, nem estatísticas…nem gráficos: tenho o que sinto e vejo todos os dias. E isso dá-me autoridade para falar, para protestar, para me indignar.

Atravessamos uma das maiores crises políticas de que há memória. Temos um Governo “suspenso”, a “pairar”… embora “nem tudo o que balança, cai” e estou em crer que o Governo não cai….a situação é insustentável. Insustentável para o País e para os Portugueses. A tal de “Salvação Nacional” traduz- se afinal em “Afundanço Nacional“!

E nós cada vez mais perto…da Grécia.

Tudo isto me parece  muito suspeito.  A vós não?

Frescas…

Quebra no consumo das famílias portuguesas já está ao pior nível da Grécia

enquanto isso:

Rui Vilar, Alexandre Relvas, Daniel Bessa, Francisco van Zeller e João Talone são alguns dos empresários portugueses que, esta quarta-feira, lançaram um apelo aos partidos do arco da governação.

Por sua vez…

Quarta reunião entre PSD, CDS e PS termina sem acordo.

Enquanto …

O Presidente da República embarcou esta noite na fragata Vasco da Gama, que estava atracada no porto do Funchal, para uma visita de dois dias às Ilhas Selvagens, o local mais a sul do território português.

No fundo…eles fazem as asneiras e , como sempre, o povo é que paga!

Não acho bem. Não acho mesmo!

Provavelmente é por estas e outras que…

Governo de Passos é o mais censurado desde o 25 de Abril

Há 3 anos….em julho. –discursos na campanha de Soares Marques à Câmara Municipal de Mangualde

“- Não estamos aqui para atacar ninguém…mas terei de dizer a todos quantos me estão a ouvir…Não vamos prometer emprego a  todas as pessoas do concelho, como fazem outros candidatos….”…palavras de Sobral Abrantes – (Não ataca já, espera 5 segundos para começar a atacar!)

“…sabemos que há ainda muita coisa para fazer”!- dizia Soares Marques (e  eu concordo….)

“Sabemos que “Roma e Pavia não se fizeram num dia”… (Claro…mas entre demorar e não fazer…há uma distância colossal)

“ São eles[Presidentes de Juntas de Freguesia] que no dia a dia sofrem os embates, sofrem os problemas com que as populações são confrontadas, são os verdadeiros heróis da democracia autárquica.” – (Então não se compreende que  PSD/PP tenha defendido, recentemente,  a eliminação de freguesias…digo eu…)

É isto eu queremos reviver? É este tipo de fazer política que queremos para o concelho? Julgo que não.

O meu falecido pai, Paulo Portugal, sempre se bateu contra a política do logro, da inverdade, da oratória oca e falaciosa, “fabricada à medida” para enlevo dos mais incautos!

Hoje, 3 anos depois….está provado que nada mudou no modo de fazer campanha eleitoral destas criaturas…

A prova está bem evidente aqui mesmo….

http://omocho.info/mocho4/?p=9476

Ainda Mais?

Os trabalhadores não fazem greve por fazer.

Lutam contra as medidas de austeridade que, a passos largos, conduzem o País ao fosso de um modo irreversível.
Não sou eu quem o diz: são especialistas e economistas – a política de austeridade impede o desenvolvimento de um povo. Fecham empresas atrás de empresas; jovens e menos jovens emigram. Os impostos sobem. Instala-se a pobreza e o desalento! O PIB (coitado) cai a “pique”, as desigualdades sociais acentuam-se com os idosos a sofrer, na linha da frente, estes “princípios de rigor” imposição de ministros que veem estatísticas em detrimento de pessoas.

Ministros petulantes que não passam de meninos mimados. Garotos traquinas mas prepotentes que não sabem o que é uma “enxada”, desconhecem o que é uma sala de aula, nem imaginam o que é estar numa empresa, todo o dia a chulear. Nem à força do muito imaginar lhes passa pela cabeça a angústia dos que têm de comprar fiado ao padeiro. Ou sequer o desespero dos que, depois de tanto trabalho e despesa, veem mortas as colheitas…

Nada sabem da realidade do País que “governam”! Não sabem que há quem NUNCA tenha férias; não sabem que há quem NUNCA faça greve: um agricultor, um pastor…esses não podem ter férias nem fazer greve…por muito que queiram. Está em causa a sua subsistência.

Mas “eles” não sabem- enfiados que estão nos seus gabinetes de móveis finos e sem uma só partícula de pó, cortinados estrangeiros e exóticos, plantas artificiais, como eles na sua essência, “afocinhados” em cima de gráficos estéreis….não sabem do povo que sofre e chora e ainda tem de aguentar os arrojos de quem arrota a “sapateira” – “Menos greves, mais trabalho e rigor”!