Mas em 2013 a música era outra por terras de Azurara

 

O presidente João Azevedo

Em 2013 a música era outra. João Azevedo tinha provado que era possível fazer diferente e melhor .  Com forte contenção de custos, aposta-se na afirmação de Mangualde. Aposta-se na melhoria financeira e na organização.

Começam a aparecer novas indústrias. A feira dos Santos regressa ao centro da cidade. A oposição entretém-se com a praia.
Mangualde é colocado de novo na senda do desenvolvimento

E já agora . Que tal recordar o 2º hino . Mangualde com Futuro em 2013

Jantar da comissão de honra – Apoio a João Azevedo

Com João Azevedo

Dia de jantar com elementos da comissão de honra e candidatos. Apesar do frio foi bom rever pessoas e verificar que estamos lá quase todos. Entraram outros obviamente mas o núcleo central está a 99%. Isso demonstra, que quando há 12 anos o projecto arrancou de forma mais consistente ( pois já antes estava a ser trabalhado), já se sabia o que se queria. Já se sabia o caminho.

Dessa forma lá estarei de novo a dar o meu à candidatura Mangualde com Futuro e a João Azevedo. E os motivos parar o apoio são muitos e falarei sobre eles noutra altura. Nesta fase a questão é de uma enorme simplicidade. Apoia-se porque cumpriram. Apoia-se porque merecem. Apoia-se porque não existe melhor. Apoia-se porque merecem . Sim apoia-se porque João Azevedo pelo que fez ganhou o direito de continuar a ser o nosso presidente. Apoia-se porque nao está parado e define de forma clara o objectivo para mais 4 anos. O caminho para a excelência e para lancar “marcas” que ficarão para o futuro.

Mangualde com Futuro – os nomes

A apresentação dos candidatos

Mangualde com futuro:

Francisco Polónio – Mandatário da candidatura
Débora Rodrigues e Bruno Gonçalves – mandatários da juventude
Leonor Pais – Assembleia Municipal
Eduardo Plácido – Abrunhosa-à-velha
Nelson Almeida – Alcafache
Paulo Marques – Cunha Baixa
Lisete Rodrigues – Fornos
Rui Marques – Quintela de Azurara
Jorge Coelho – São João da Fresta
José Manuel – Moimenta e Lobelhe
Rui Valério – Santiago
António Monteiro – Independente – em Espinho
Alexandre  Constantino – Chãs de Tavares
Marco Almeida – Mangualde

Cá por Mangualde mais uma em obra

mais uma ….

Começaram as obras para pavimentação da ligação Torre de Tavares a Vila Cova de Tavares, na União de Freguesias de Tavares. Esta empreitada está inserida no conjunto de investimentos que se sucederão a muito curto prazo e que, estima a autarquia, atinjam um valor de 1,3 milhões de euros, já durante os meses de fevereiro e março. Estas empreitadas, no âmbito do plano de investimentos com obras a concurso no valor de 7 milhões de euros, assegurarão, na sua maioria, uma melhoria/requalificação da rede viária municipal em várias estradas municipais do concelho e na rede de infraestruturas.

«ESTÃO JÁ NO TERRENO QUASE 1 MILHÃO DE EUROS EM OBRAS. (…)

 

João Azevedo preside a reunião da CCDRC. O futuro da Região Centro em discussão

João Azevedo, edil mangualdense e presidente do Conselho Regional da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), presidiu  à reunião deste Concelho Regional, onde foi feito um balanço da atividade deste ano e apresentadas as estratégias e metas para 2017. A reunião decorreu no auditório da CCDRC, em Coimbra, e contou com a presença da secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, do presidente do Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado e da presidente da CCDRC, Ana Abrunhosa.

Mesa da reunião

 O Orçamento Participativo (que prevê no OE de 2017 uma verba de 3 milhões de euros) e a apresentação do Programa de Valorização Económica do Vinho na região (que tem alocados 3 milhões de FEDER, dos quais 1 milhão é dirigido à inovação) estiveram também em cima da mesa, “pelas mãos” da secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca, do secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Amândio Torres, respectivamente.

 EMPRESAS DA REGIÃO TÊM, NO PAÍS, UM PESO NO SISTEMA DE INCENTIVOS DE 35%

Na sua intervenção, Ana Abrunhosa afirmou que o Programa Operacional Regional (POR) «já colocou a concurso metade da dotação do programa, cujo valor ascende aos 2.155 milhões de euros. Neste momento, considerando os valores de final de novembro, estão aprovados na região 2.372 projetos, que correspondem a um fundo comunitário de 560 milhões, traduzindo um compromisso do programa na ordem dos 26%». Já em termos de pagamentos, os mesmos ascendem aos «76 milhões de euros, o que se traduz numa taxa de execução de 4%». A presidente da CCDRC realçou «já aprovamos 560 milhões em projetos e estão em análise cerca de 670 milhões, o que significa que o potencial de aprovação, em breve, situa-se neste valor, pois a restante verba (1.100 milhões) ainda está por aceitar candidaturas». Ana Abrunhosa realçou ainda que os projetos das empresas da região têm, no país, «um peso no sistema de incentivos de 35%. São cerca de três mil projetos empresariais no PO e no programa COMPETE, com intenções de investimento a rondar 2 mil milhões de euros» e que correspondem a uma participação de mil milhões de euros de fundos europeus».

 

 13,5 MILHÕES EM PROJETOS DE TURISMO NA NOSSA REGIÃO

O presidente do Turismo Centro de Portugal apresentou a Estratégia de Promoção Turística para a região Centro até 2020, afirmando que «a concurso vão estar 13,5 milhões em projetos de turismo. 3 milhões para a Entidade Turismo do Centro de Portugal (TCP), para afirmar e promover a marca, 8,5 milhões para projetos em que os beneficiários são as CIM – sempre com a orientação e supervisão da TCP e os restantes 2 milhões do programa estão direcionados para a promoção turística do património da humanidade».