Ainda Mais?

Os trabalhadores não fazem greve por fazer.

Lutam contra as medidas de austeridade que, a passos largos, conduzem o País ao fosso de um modo irreversível.
Não sou eu quem o diz: são especialistas e economistas – a política de austeridade impede o desenvolvimento de um povo. Fecham empresas atrás de empresas; jovens e menos jovens emigram. Os impostos sobem. Instala-se a pobreza e o desalento! O PIB (coitado) cai a “pique”, as desigualdades sociais acentuam-se com os idosos a sofrer, na linha da frente, estes “princípios de rigor” imposição de ministros que veem estatísticas em detrimento de pessoas.

Ministros petulantes que não passam de meninos mimados. Garotos traquinas mas prepotentes que não sabem o que é uma “enxada”, desconhecem o que é uma sala de aula, nem imaginam o que é estar numa empresa, todo o dia a chulear. Nem à força do muito imaginar lhes passa pela cabeça a angústia dos que têm de comprar fiado ao padeiro. Ou sequer o desespero dos que, depois de tanto trabalho e despesa, veem mortas as colheitas…

Nada sabem da realidade do País que “governam”! Não sabem que há quem NUNCA tenha férias; não sabem que há quem NUNCA faça greve: um agricultor, um pastor…esses não podem ter férias nem fazer greve…por muito que queiram. Está em causa a sua subsistência.

Mas “eles” não sabem- enfiados que estão nos seus gabinetes de móveis finos e sem uma só partícula de pó, cortinados estrangeiros e exóticos, plantas artificiais, como eles na sua essência, “afocinhados” em cima de gráficos estéreis….não sabem do povo que sofre e chora e ainda tem de aguentar os arrojos de quem arrota a “sapateira” – “Menos greves, mais trabalho e rigor”!

É mesmo teu…Coelhinho!

A Idiotice também parece não ter limites
Numa altura em que as duas centrais sindicais se unem numa greve pelo trabalho, Passos Coelho tem a brilhante intervenção: “precisamos de mais trabalho e menos greves”!
Teríamos menos greves se houvesse mais trabalho…ou se o calicida estivesse a fazer efeito….

Eu tenho um calo no pé.
Há uns dias que ando a tratar dele.
Incomoda,
Simplesmente porque existe.

Eu tenho um Coelho no Governo…
Há uns dias que ando a tratar dele.
Incomoda,
Simplesmente porque existe.

Eu avisei senhores diretores… Era só ler

A vigilância às provas e aos exames de PLNM, de Português e de Latim pode ser efetuada por professores de  qualquer nível de ensino que não sejam docentes das respetivas disciplinas, com exceção dos docentes da Educação Pré-escolar, já que,para este nível de educação, o termo dasatividades educativas com turma apenas ocorre no dia 5 de julho.
—————————————
Portanto agradecia-se nova convocatória

E agora senhores directores de escola? São professores ou não?

Perante o chumbo dos serviços mínimos o governo reagiu da pior forma.  Não sendo possível de apelo, faz um recurso.

Continuam com o discurso patético . Coloca na televisão alguns labregos que nada sabem de educação. Alguns directores, por esse país fora, foram ao longo deste tempo comissários ao serviço  do ministério. Agora vão ter de demonstrar se são homenzinhos. Se ainda são professores ou simples servos do poder.

Uma escola funciona bem e  os alunos estão bem se os professores estiverem bem. E sobretudo se os professores tiverem estabilidade. A estabilidade é fundamental para o exercício de lideranças fortes, mas não autoritárias. A estabilidade é fundamental para que o trabalho com os alunos seja correcto e sério. E os directores ao decidir se convocam todos os professores para o exame de segunda feira vão decidir se a sua missão é ser comissário político do governo ou prestar um serviço à escola, aos alunos e aos professores.