De razoável…a pior…de cavalo, para burro…da chuva, para o rio…ou isso…..

Este governo nosso tem ideias estranhas, muito estranhas.

Ora bem….

Refiro-me hoje à Saúde, ou à falta dela…

Se alguém quer marcar uma consulta no seu médico de família para tratar um assunto cujas entidades oficiais exigem que seja tratado APENAS pelo médico de família, e não outro, igualmente qualificado para tal… e essa consulta é marcada para meados de agosto o desfecho é unicamente um: a deterioração, primeiro parcial e depois total, da saúde de muitos cidadãos podendo culminar na morte.

Meados de agosto, hein?

E isto porque se reduz o número de médicos. Reduz-se o número de enfermeiros. Reduz-se tudo exceto a estupidez!

Toda a gente sabe

…que depois das eleições vão surgir novos cortes: ordenados e pensões, de novo.

Ora…temendo que lhe possam ir ao “bolso” o PR vai dizendo que “vê possibilidade de o Governo liderado por Pedro Passos Coelho não ter respeitado a equidade fiscal entre cidadãos e, nesse sentido, Cavaco Silva afirmou a sua expectativa de que os pensionistas não sejam alvos de novos cortes. Aliás, pelo contrário: é altura de começar a corrigir injustiças passadas.

LOL….

Preocupadinho, hein?

Diálogo e Tolerância

Sim, diálogo e tolerância não foram apenas palavras para Nelson Mandela- foram muito mais que paravras, foram acões!

Poder-se -á dizer o mesmo da atuação deste governo nosso?

Onde está o diálogo? Ora pois, um diálogo para enganar os néscios mas que, no fundo….só deixa prevalecer a vontade de quem detém o poder.

Tolerância…”queredo”! Nem querem ouvir tal….É coisa que não existe no dicionário de suas excelências…. (reparai que coloquei em letra minúscula propositadamente)….

E depois ainda há alguns que têm a indecência e o despudor de insultar Mário Soares…

(inveja é coisa ruim…e pecado, já agora!)

Mas afinal…estão surpreendidos, é?

Trabalhadores dos CTT queixam-se de “conversa de surdos”

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/trabalhadores-dos-ctt-queixam-se-de-conversa-de-surdos=f843708#ixzz2mDsaJNx1

É que isto já é o “pão nosso de cada dia”!

Estes “tipos” do Governo só fazem o que bem lhes apetece, quando lhes dá na “gana”!

É assim em todas as áreas….Educação, Saúde, Justiça…tudo é e será sempre segundo a VONTADE de quem PODE!

E no que toca a cumprir compromissos estabelecidos…arranjam maneira de “dar o dito” por sonhado…..e fazem de nós completos parvos que assistem, impassíveis, a toda esta prepotência!

Estou zangada!

Um facto…

…seguido de  múltiplas tolices.

FACTO:

Função pública perde 28 mil trabalhadores no espaço de um ano

Mas …com papas e bolos se enganam os tolos….

“A intenção do Governo é ter “menos funcionários e mais bem pagos”. Ai é???

(…)

“Além disso, o Governo pretende continuar a reduzir trabalhadores por via das reformas antecipadas, requalificação e rescisões amigáveis.” (presentinho envenenado, hein?)

(…)

“O Ensino Vocacional pretende criar oportunidades de trabalho para a população jovem” – Onde? Em Portugal?

(…)

O Inefável peso do irrevogável, da teimosia e do hebetismo

 

Estou de mau humor.

Receio bem que nada de bom advenha desse meu estado.

Mas estou de mau humor por causa da não seriedade de pessoas com responsabilidades.

Dentro de uma casa não pode o pai dizer uma coisa e, logo depois, a mãe dizer outra. Ou o contrário. Isso deixa a criança, o jovem algo confuso, sem saber, afinal, em quem confiar. Um clima de incerteza e instabilidade começa por estar presente, desde cedo, num momento fulcral da formação da personalidade de qualquer indivíduo.

Surgem depois os casos de indisciplina, por exemplo, nas escolas. Surgem até, casos de insegurança quando o jovem tem de tomar decisões pois no seu “mundo” uma decisão nunca é algo “para levar a sério” – ela pode ser “revogada” a qualquer instante.

A instabilidade familiar, transforma-se em instabilidade social. Instabilidade psicológica…e por aí adiante.

E não há nada mais frustrante do que o “não sabermos com o que contar”…o “não sabermos com que linhas nos cosemos”!

O Governo não inspira confiança; logo as instituições, os ministérios também não. E quem os dirige …muito menos.

Pessoas com responsabilidades não podem entrar no jogo do “ posso ter dito mas não me lembro”! Pessoas que devem gerir instituições com justiça e seriedade não podem…não devem negar-se a dialogar com os funcionários quando estes, educadamente, lhes dirigem a palavra.

Muito me escandalizo quando MEC se remete ao silêncio perante situações absolutamente gritantes. Esperam, por certo, que as pessoas esqueçam e acabem por abandonar o assunto.

Mas isso apenas gera mais e mais desconfiança, mais e mais instabilidade…e ninguém pode ter um bom desempenho numa instituição em que, precisamente, a confiança e a estabilidade são as pedras basilares de todos os princípios: falo da Educação, em geral, obviamente.

Enfiai lá as frases pomposas no devido orifício…

“O Governo dará este domingo “uma informação” relativa à “aplicação de uma condição de recurso sobre as pensões de sobrevivência”, durante o Conselho de Ministros que discutirá o Orçamento para 2014.”

Mania de usar palavras “caras”…grandes frases para dizer o “Óbvio”- entenda-se “óbvio” como sinónimo de “Olhai …estais é £@£€{#”, palavras já tão habituais… nas habituais comunicações deste nosso governo.

Pensão de sobrevivência que tanto incomoda os nossos governantes.

Mas não lhes dá pensar em cortar as reformas dos que nadam em dinheiro.

Que se têm dinheiro trabalharam para isso, foram empreendedores….(dirão alguns)

Do mesmo modo o comum cidadão que gere as suas despesas com parcos recursos trabalhou uma vida para ter …migalhas! (Digo eu)

Portanto, meu senhores, enfiai lá as frases pomposas no devido orifício e depois tomai um laxante!!!