Irra! Quando…

…a pouca vergonha não tem limites e a cretinice é “virtude”… dá nisto:

Pressão psicológica sim, senhor Ministro.

Deixe-se de tretas!

E não faça esse arzinho de santo de pau oco….ou também me vai dizer que “Acima da Educação só Deus”???

Porque eu sei e o Senhor também sabe o que se pretende com esta prova. Nos moldes que o senhor a quer fazer só tem um propósito.

E ainda está para vir o resto: quando é que dá a notícia aos professores? Quando?

Agrupamentos de Escolas, Autonomia e trapalhadas….

http://www.dn.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=2529330

Esta “coisa” não dá bons resultados. Há uma dispersão a todos os níveis e uma clara desmotivação nos intervenientes no processo educativo. principalmente dos alunos que , súbito, dão por si no meio de um universo a que são alheios. Desinteresse e indisciplina são os sintomas mais evidentes dessa “desadaptação”. Grave se pensarmos que serão depois sujeitos a uma avaliação que lhes ditará o rumo…

Pais e Encarregados de Educação têm motivos para estar preocupados.

(Adiante falarei sobre isto com mais tempo)

A autonomia das escolas...como está provado, pode ser um perigo para a democracia.  Os portugueses não sabem gerir o “poder” que subitamente lhes cai no colo.  E transformam-se em pequenos reis e senhores convencidos de que têm uma missão de inspiração Divina…. (Não têm…é apenas ilusão provocada pela cegueira do poder)

Mal…muito mal…..

As trapalhadas estão à vista: escolas sem funcionários, alunos sem aulas [alunos sem escola, sem turma, sem curso…..alunos que não têm assento em lugar algum, a menos que a ideia seja essa mesma- deixá-los fora do sistema de ensino….só assim se compreende!], professores por colocar, cursos “emperrados” por falta de informação ….

E é este o panorama de “normalidade” que Crato advoga e defende com  dentes e garras!

TRAPALHADA: só mais uma, deste Governo Nosso!

E continuo a dizer que Mangualde foi prejudicado propositadamente.

É que nem a pontuação, (mais de 60 pontos) nem os restantes critérios alegadamente aplicados obstariam a que Mangualde ficasse sem Educação de Adultos.( critérios já de si “manhosos” e cálculo da pontuação que pelo menos eu desconheço)

Concentrar 3 centros em Viseu, obrigando os adultos a deslocarem-se, é mais um ataque aos cidadãos do distrito.

Espero bem que alguém reclame com “unhas e dentes”!

A Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP) aprovou 206 candidaturas para a constituição dos novos centros que vão substituir as estruturas do programa Novas Oportunidades, quase o dobro do máximo que tinha sido anunciado antes pelo Governo para integrar a nova rede.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/centros-que-substituem-novas-oportunidades-serao-o-dobro-do-anunciado-pelo-governo-1608121

Camões já o sabia há muito…

Camões

…não sabia apenas que o Amor “é fogo que arde ser se ver”!

Também sabia que o mundo anda, muitas vezes, às avessas…. ( e não devia ser assim!)

 

“Ao desconcerto do Mundo”

 

“Os bons vi sempre passar

no Mundo graves tormentos;

e pera mais me espantar,

os maus vi sempre nadar

em mar de contentamentos.   (Estranho, não é?Digo eu….)

Cuidando alcançar assim

o bem tão mal ordenado,

fui mau, mas fui castigado:

assim que, só pera mim,

anda o Mundo concertado.”

Luís de Camões

Impressionante….

“O que está em causa é a defesa da comunidade educativa. Dos alunos e das suas opções de formação, e dos directores, que se vêm obrigados a defender a sua imagem perante os encarregados de educação, depois de os terem convencido a matricular os filhos em turmas de cursos de educação e formação, por exemplo”, disse à Lusa o presidente da ANDE, Manuel Pereira.

Para os directores está também em causa “um trabalho prévio de distribuição do serviço docente, e agora não vêm as turmas constituídas ser aprovadas pelo ministério”.

O problema afecta turmas do ensino regular, e do ensino das vias profissionalizantes, como os Cursos de Educação e Formação (CEF), que podem ser ministrados nas escolas secundárias públicas.

Manuel Pereira referiu-se ainda ao aumento do número de professores sem horários atribuídos, em consequência da redefinição da rede escolar, uma vez que ficaram sem turmas atribuídas.

Como tenho vindo a dizer…

Crato cumpriu. Crato implodiu

Em 17 anos de exames nacionais, dos 39 que já leva a democracia, o país nunca tinha assistido a tamanho desastre. A segunda-feira passada marca o dia em que um ministro teimoso, incompetente e irresponsável, implodiu a cave infecta em que transformou o Ministério da Educação. A credibilidade foi pulverizada. O rigor substituído pela batota. A seriedade submersa por sujidade humana. Viu-se de tudo. Efectivação de provas na ausência de professores do secretariado de exames, com o correlato incumprimento dos procedimentos obrigatórios, que lhes competiriam. Vigilantes desconhecedores dos normativos processuais para exercerem a função. Vigilantes do 1.º ciclo do ensino básico atarantados, sem saber o que fazer. Examinandos que indicaram a professores, calcule-se, que nunca tinham vigiado exames, procedimentos de rotina. Exames realizados sem professores suplentes e sem professores coadjuvantes. Exames vigiados por professores que leccionaram a disciplina em exame. Ausência de controlo sobre a existência de parentesco entre examinandos e vigilantes. Critérios díspares e arbitrários para escolher os que entraram e os que ficaram de fora. Salas invadidas pelos “excluídos” e interrupção das provas que os “admitidos” prestavam. Tumultos que obrigaram à intervenção da polícia. Desacatos ruidosos em lugar do silêncio prescrito. Sigilo grosseiramente quebrado, com o uso descontrolado de telefones e outros meios de comunicação electrónica. Alunos aglomerados em refeitórios. Provas iniciadas depois do tempo regulamentar.”

Para um Ministro que exigiu o assinar de um papel aos alunos do 4º ano que iam prestar provas, comprometendo-se a não levar telemóvel…afinal, na “prova dos nove” foi uma “bandalheira”! Onde está o rigor e a seriedade?