Jantar de candidatos … ou como o comício mais chato… foi o melhor comício

Realizou-se no dia 13 o jantar dos candidatos das Juntas, da Câmara e  da Assembleia municipal e da comissão de honra.

Foi um jantar pago, logo o número exacto de participantes é conhecido. Não o digo e não vou por aí.  Embora cada freguesia tivesse obrigatoriamente uma representação limitada , por falta de lugares, o espaço encheu. E não ficaram cadeiras vazias. Quem lá esteve sabe quantos eram e não fomento discussões tolas.

Até porque este não era bem um comício. Mas também não era bem um jantar. João Azevedo teve a coragem de juntar os seus candidatos e apresentar do principio ao fim o seu programa. Sem esconder, sem tom de comício e imagine-se de papel na mão. Era preciso. Tinha de existir um momento, em que forma clara se desse a conhecer as metas e os objectivos desta candidatura

E foram apresentadas algumas ideia fantásticas.( é mesmo assim- por exemplo criar um dia o caminho turístico Alcafache – Senhora do Castelo). Mas João Azevedo já fez muitas coisas que se consideravam impossíveis. O turismo, a educação a modernidade , a rede wifi, os postos de cidadão nas freguesias, a mobilidade, as 12 Etars ( algumas já em obra),  o emprego…. Foi bom ouvir e perceber  que Mangualde com Futuro continua a inovar , continua a ser criativa e quer deixar uma marca que fique mesmo para o futuro. Não tenham dúvidas. No final deste mandato Mangualde vai ter outra dimensão.

Sim eram muitos Quem lá esteve sabe quantos eram .

E no final uma surpresa. Ana Abrunhosa na qualidade de amiga de João Azevedo,  faz uma intervenção. Começou pelas 23,15. Confesso que temi um abandono geral. O João tinha falado e era tarde. Tal não aconteceu. As pessoas ficaram e ouviram. Com uma linguagem simples Ana Abrunhosa falou de Mangualde e do João Azevedo. Confirmou que as verbas já existiam para a requalificação por exemplo, a importância da ferrovia que fica mesmo em Mangualde,  referiu em concreto a forma como João Azevedo consegue o que outros autarcas não conseguem. Porque insiste, porque está la, porque insiste de novo, porque sabe o quer quer, porque prepara os temas, porque faz propostas, porque conversa e é humilde mas firme.

Por isso tal como João Azevedo disse. Este não ia ser um comício normal. Sem música e sem hino. Foi tempo de ouvir e de perceber e de tentar no dia a dia transmitir às outras pessoas a mensagem recebida.

Parabéns João Azevedo por mais uma forma diferente de fazer política

Contas de merceeiro… ou as grandiosas manifs … ou um post tolinho

Confesso que não me passava pela cabeça escrever um post tão tolo. Dar importância a coisas que estão aos olhos de todos é uma coisa surreal.

Mas perante algum … digamos excesso de emoção, quiçá desespero,… sei lá… tenho de falar nisto

Não gostei nada, mas mesma nada, que aquando da apresentação de Marco Almeida e das listas Mangualde com Futuro à Junta de Freguesia, alguns apoiantes de peso de outros candidatos tenham vindo com piadas foleiras. Muito mau gosto, tentando dar a ideia que o comício tinha sido um fracasso.

Agora tivemos a apresentação de candidatos do PSD no concelho. Comício concelhio, em que vinham pessoas de todas as freguesia e convidados.

Esperava eu ler nos dias seguintes excertos das comunicações, perceber o que os movia, ler alguma contributo. Considerando que, como sempre disse,têm um bom candidato à presidente da autarquia, aproveitassem e passassem a sua mensagem.

Afinal fomos todos confrontados com uma profusão orgasmática de mensagens que falavam de grandiosidade, de centenas e centenas de pessoas, que estava ganho, que João Azevedo não tinha feito nada, que o PS tinha medo e estava preocupado. Isto no mesmo dia que mais de 500 mulheres pagantes se reuniam num jantar de apoio a João Azevedo. Ainda hoje, torna a  aparecer a referência a 500 pessoas.

E perante comentários a apelar para o bom senso insiste-se insiste-se …… insiste-se.

Eu acho que o número de pessoas não é elemento essencial. As listas são o que são e se é bom sinal ter muita gente, isso não quer dizer nada em termos de conceções e do valor das suas propostas. É apenas um indicador de entusiasmo,  que vale o que vale

Mas como insistem eu terei de publicar uns simples fotos. E como tenho dito sempre: COMPAREM. Cada um que decida.

As fotos iniciais são de membros do PSD. Ilustres deputados da nação e  e ex-membros do governo. O comício já estava em andamento.Aplaudia-se um orador.

Publicada no Facebook por José Cesário – Pública

Publicada no Facebook por Pedro Alves – Pública

Esta é para comparar:  comício equivalente de João Azevedo quando apresentou as sua listas em Maio.  Como verificam ZERO pessoas à frente e ZERO pessoas na bancada. Pronto já está…

Pronto Apresentação de João Azevedo. ( 3 horas antes de começar)

E agora SFF era bom que acabassem com estas merd….

Protocolos – transportes e refeições escolares

De forma a dar respostas às necessidades de transporte e refeições escolares no Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico foram ontem, 11 de setembro, assinados protocolos com várias instituições do concelho. Na assinatura esteve presente o edil mangualdense, João Azevedo. No total serão abrangidos 42 alunos no transporte escolar e servidas 320 refeições.

Assinatura de um dos protocolos

As entidades que irão beneficiar do apoio ao transporte escolar são o Centro Social e Paroquial de Abrunhosa-a-Velha, o  Centro Paroquial Alcafache e o Centro Paroquial Cunha Baixa. No que diz respeito às refeições escolares, o protocolo foi estabelecido com o Centro Social e Paroquial de Abrunhosa-a-Velha, o  Centro Paroquial Alcafache, o Centro Paroquial Cunha, o Centro Social Paroquial de Chãs Tavares e o  Centro Cultural Social Desportivo de Tibaldinho.

Para além destes protocolos, a autarquia providencia o transporte a 38 alunos através de uma empresa de Táxis (Procedimento Concursal) e 67 alunos com os autocarros da Câmara Municipal. Estão ainda estabelecidos protocolos através do Agrupamento de Escolas (protocolo com a DGESTE) onde são fornecidas cerca de 49 refeições aos alunos do 1.º ano no refeitório da ACO e cerca de 231 refeições  aos alunos do 2.º , 3.º e 4.º ano no refeitório da GEA.

Para RE(a)CORDAR o passado . Sim fez-obra

Sabemos que em campanhas eleitorais se dizem muitas asneiras. Recentemente os candidatos e ex-candidatos do PSD  tentam de forma desesperada lançar a ideia que João Azevedo nada fez.

As coisas estão aí. Todos as conseguem fazer. E todos sabem como as coisas foram feitas. Com muito esforço, com muita imaginação e com sacrifícios dos Mangualdenses. Porque tínhamos uma situação financeira muito grave e as obras fazem-se desde que se tenha financiamento.

Mas é sempre bom recordar e acordar  e relembrar  a situação que deixaram – financeira e obras por fazer

As obras no mercado municipal são apenas um exemplo. Foram obras prometidas em várias candidaturas laranjas e azuis. E não foram feitas.

E foi a gestão João Azevedo que conseguiu encontrar uma forma  financiamento. E foi João Azevedo que fez as obras

Em Dezembro de 2009 o mercado municipal era isto.E era assim há anos

Este slideshow necessita de JavaScript.

Até que em Março de 2014

A reabertura contou com a visita ao espaço do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, de familiares e amigos do Dr. Diamantino Furtado. A obra trouxe mais modernidade e conforto a um espaço que faz parte da história do concelho de Mangualde. A imagem de todo o espaço foi assim modernizada. Peixaria, charcutaria, talho, legumes, produtos regionais, pão, flores e fruta são alguns dos produtos que podem encontrar à venda neste espaço.

mercado

No âmbito da requalificação foram reorganizadas as instalações sanitárias, com a criação de uma instalação sanitária adaptada e acessível a utentes com mobilidade condicionada. Foram substituídas portas, aros, guarnições, louças sanitárias e aplicado azulejo nas paredes. Foi ainda pintado todo o interior e exterior do mercado, colocado novo pavimento em mosaico cerâmico, substituídas algumas armaduras que se encontravam degradadas e substituída a cobertura existente.

 

João Azevedo com as pessoas do mundo rural

João Azevedo sempre manifestou a sua preocupação com a situação dos homens e mulher que trabalham directamente a terra. Tem sido uma área de intervenção forte da autarquia.  Sempre. Considera-os a base do necessário combate à desertificação. “Os homens da Terra”, agricultores, pastores , jovens investidores são uma marca na sua atuação. Não é por acaso que a aposta do concelho no queijo, nos mirtilhos, na agro-industria e na maça e no vinho tem sido um sucesso

Hoje foi o dia de mais um encontro na Senhora do Castelo

Com a presença de Jorge Coelho

Forte presença do mundo rural.Intervenção de Rui Costa

Ainda os donativos para os prejuízos dos incêndios

Os portugueses são solidários. Mas acreditam no Pai Natal. E doam sem saber para onde vai.

Os Pafiosos na sua campanha vergonhosa e demagógica levantam fantasmas… falam … falam e depois calam-se.

O Estado criou o fundo REVITA para tentar coordenar os diferentes fundos mas, dos 14 milhões que se considera terem sido doados pelos portugueses, administra diretamente apenas 3 milhões de euros provenientes do Millenium BCP, Santander Totta, Caixa Agrícola, Governo de Timor-Leste e Fundação Agha Khan. ( ainda não os recebeu na sua totalidade). Processo claro e transparente e gerido por autarquias

A maior parte do dinheiro doado ficou direta ou indiretamente sob a alçada da União das Misericórdias Portuguesas. São os 5,3 milhões de euros reunidos no concerto Juntos Por Todos, mais um fundo de 1 milhão de euros da Fundação Gulbenkian e, ainda, 2,65 milhões provenientes da Caixa Geral de Depósitos. Por seu lado, a Associação Portuguesa de Seguradores gere diretamente um fundo próprio de 2,5 milhões de euros. E a Cáritas portuguesa gere 1,7 milhões de fundos próprios, doações nas paróquias e ainda 200 mil euros provenientes do Novo Banco.

Portanto a CGD não entregou o dinheiro ao estado mas sim à União das misercórdias

A Câmara Municipal de Pedrógão recebeu do BPI e do La Caixa um total de 1,14 milhões de euros, enquanto que a Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão recebeu 135 mil euros da linha solidária da RTP.

Portanto a  RTP não entregou o dinheiro ao Estado mas diretamente a uma misericórdia em concreto,

Dito de outra forma. o Presidente do Conselho de Administração da RTP, Gonçalo Reis, é ex-deputado do PSD, entrega o dinheiro ao atual candidato do PSD à autarquia de Pedrogão.

 

Talvez assim percebam a razão dos comentários do actual candidato do PS em Pedrogão ( o presidente da câmara) que certamente não gostou de ver o seu adversário a ficar com o dinheiro