João Azevedo reeleito para Presidente do Conselho da Região Centro

João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, foi hoje reeleito Presidente do Conselho da Região. A reunião aconteceu esta manhã, no auditório da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), e contou com a presença do Ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, bem como do Secretário de Estado para o Desenvolvimento e Coesão, Nelson de Souza.

O autarca mangualdense agradeceu a confiança novamente depositada em si pelos seus pares e demais conselheiros, enaltecendo também “aCentro amizade e lealdade institucional” de Ana Abrunhosa, Presidente da CCDRC. Fez, ainda, um “balanço muito positivo” do passado, frisando “com agrado que a CCDRC utiliza este órgão político de Governação Regional para apresentar projetos estruturantes para a região”, dando os exemplos do projeto regional do Vinho, do Queijo DOP, da Floresta, entre outros. “Nesse contexto agiu com transparência, ouviu elogios, críticas, mas envolveu os atores da Região”, acrescentou.

Em relação ao futuro, João Azevedo lançou cinco desafios ao Conselho Regional, salientando o “papel relevante” do Ministro do Planeamento e Infraestruturas e do Secretário de Estado presentes. Desde logo a aposta nas empresas, apontando o desequilíbrio da dinâmica empresarial que afeta a região. Os fundos europeus devem, segundo o Presidente reeleito, ser utilizados “de forma mais adequada à situação específica dos territórios, das suas pessoas e dos seus recursos”.

Um segundo desafio prende-se com as verbas disponíveis para a Educação no Programa Operacional Regional, “escassas face às necessidades da região”.  Em terceiro lugar, defende a necessidade de aumentar as verbas destinadas aos centros urbanos de menor dimensão e sua regeneração urbana.

Um outro apelo de João Azevedo relaciona-se com a necessidade de “participação com autonomia” de autarquias, universidades, empresas e demais parceiros, numa recusa a “Programas Operacionais Regionais feitos à mesma medida”.

Por fim, salientou “os investimentos estruturantes que são prioridade para a região Centro e em relação aos quais há unanimidade”. É o caso do IP 3, do IC 12, do IC 6 e da Linha da Beira Alta, que já está em fase de obra.

Em suma, João Azevedo apela à descentralização, à aproximação das políticas e das soluções às pessoas e aos seus problemas. Reivindica, também, autonomia para que os municípios da região Centro possam resolver os problemas de forma integrada, não negando responsabilidades acrescidas, mas defendendo que tal permitiria trabalhar em prol da melhoria das condições de vida das populações.

 

Vejamos os jornaleiros não falam destes assuntos ! Qual será a razão????

O Marcelo e os seus amigos jornaleiros não comentam, não exigem, não falam nestes temas.( ou deixaram de falar) E afinal qual será a razão???  Simples não é?

1- Árvore do Funchal … como é que está? Causas ? Responsáveis?

2- IURD e as crianças…. como é que está? Causas ? Responsáveis? A procuradores etc e tal…

3- Raríssimas. Sim parou. Como é? Ah uns responsáveis importantes de um determinado grupo. OK

4- Tondela. Causas? Responsáveis? ( ah deputados foram lá e a segunda porta abria e o presidente é…. ) ah ok

Os santanistas afinal ganharam em Mangualde

Se Rui Rio venceu no distrito de Viseu, em Mangualde foi-se fiel a Santana.  Se no distrito Rui Rio teve quase o dobro da votação de Santana, por terras de Mangualde a situação inverteu-se. Um verdadeiro núcleo gaulês num distrito que seguiu o homem do norte. Nos 24 concelhos do distrito de Viseu, Rio ganhou em 22. Santana Lopes venceu em Vouzela e Mangualde. Não acertam , nunca acertam…

Dados Jornal do Centro

Concelho Rui Rio

P. S. Lopes

Armamar 42 13
Carregal do Sal 17 13
Castro Daire 34 10
Cinfães 43 11
Lamego 85 55
Mangualde 22 49
Moimenta da Beira 12 11
Mortágua 17 2
Nelas 21 13
Oliveira de Frades 36 36
Penalva do Castelo 11 10
Penedono 5 2
S.J. Pesqueira 46 7
Resende 28 19
S.C.Dão 26 9
S.P.Sul 39 17
Sátão 34 4
Sernancelhe 85 2
Tabuaço 37 14
Tarouca 26 5
Tondela 73 23
V.N.Paiva 11 7
Viseu 160 134
Vouzela 12 35
Total 922 501

Rio ganha em Viseu, mas os Barões perdem.

A campanha de anos feita por tudo quanto era concelhia por Rui Rio deu os seus resultados. Os sulistas tiverem que mandar um candidato sem grandes argumentos. Valeu-lhe o apoio fiel de alguns jornaleiros para tentar disputar os resultados

No distrito de Viseu Rui Rio ganha por 421 votos. ( teve 922 votos contra 201 de Santana). Curiosamente os grandes chefes de Viseu estavam do lado de Santana. Almeida Henriques era o mandatário e Fernando Ruas apoiante. Com Santana estavam  Rui Ladeira, autarca de Vouzela e Carlos Esteves, autarca de Penedono.

Claro que agora como é costume tudo vira. Mas estou com muita curiosidade para ver como os jornais de direita vão tratar Rui Rio. Irão salientar os seus tiques salazarentos? Não gostarão do desprezo que o líder parece ter por certos comentadores e jornaleiros? As concelhias que apoiaram Santana terão peso político? Ou vão dançar o Vira?

E o PSD Mangualde? Teve posição nesta disputa? Ou não existiu ?

 

Foi assinado um protocolo com vista à dinamização da POEMa – Projeto Orquestra Estúdio de Mangualde.

Foi assinado este sábado, dia 6 de janeiro, um protocolo com vista à dinamização da POEMa – Projeto Orquestra Estúdio de Mangualde. Para João Azevedo, Presidente da autarquia mangualdense, este é um “projeto musical de referência, financiado pela União Europeia, que permitirá o ensino musical gratuito a mais de 50 alunos nos próximos dois anos, contribuindo para o seu sucesso escolar, cultural e social”.

O protocolo foi assinado pela Câmara Municipal de Mangualde, pela Proviseu – Conservatório Regional de Música Dr. José de Azeredo Perdigão – e pelo Agrupamento de Escolas de Mangualde. A assinatura do protocolo decorreu antes da realização do Concerto de Ano Novo, interpretado pela Orquestra POEMa, ao qual assistiram cerca de uma centena de pessoas.

poema

O protocolo estabelece assim que cabe à Proviseu nomear o maestro titular da Orquestra POEMa e disponibilizar professores para ministrarem as aulas, a Câmara Municipal será a responsável, nomeadamente, pelo transporte dos músicos para os ensaios e para as futuras apresentações e o Agrupamento de Escolas de Mangualde cederá as instalações e os materiais necessários para a prática musical.

Este projeto integra os músicos do Conservatório de Música de Viseu, das Bandas Filarmónicas e de outras instituições que se dedicam à música no concelho de Mangualde. A Orquestra POEMa é composta por duas formações: Orquestra de Câmara (Cordas, Sopros e Percussão) e Orquestra de Sopros (Sopros e Percussão).