E aumenta o número de camiões a trazer água para a barragem de Fagilde

Já são perto de 100 camiões transportar água. Por um lado água já tratada e que é colocada na rede e por outro água não tratada e que é colocada na barragem.

João Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, esteve ontem (dia 18 de novembro) em Mangualde. O Governo, numa ação conjunta do Ministério da Defesa, do Ministério da Administração Interna, do Ministério do Ambiente e das Autarquias, leva a cabo uma ação de reforço do transporte de água, nesta que é a maior operação de sempre em Portugal de transporte de água.

O Governo vai enviar mais 45 camiões-cisterna diariamente para descarregar água bruta na Albufeira de Fagilde, somando-se aos 51 já existentes, para enfrentar a seca que atinge quatro concelhos do distrito de Viseu – Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo e Viseu, anunciou ontem o ministro do Ambiente. Esta operação arrancou às 07:00 de hoje, domingo, depois de durante o dia de ontem terem sido feitos alguns testes.

“Esta ação vem demonstrar que estamos preparados para agir quando somos confrontados com situações de catástrofe como esta que está a acontecer na nossa região. Com este reforço de camiões diários estamos a dar uma resposta cabal às necessidades das pessoas, aos domicílios, ao tecido empresarial, à economia social, à saúde e a todos os agentes locais, para que esta região seja competitiva e tenha esperança para o futuro. “, sublinhou João Azevedo, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

“A água vai ser tirada da Albufeira da Aguieira, que tem uma capacidade muito maior, e trazida diretamente para a Albufeira de Fagilde. Essa água é depois tratada na própria ETA de Fagilde e entra nos sistemas para poder abastecer estes quatro concelhos”, explicou ontem o Ministro do Ambiente. Referiu ainda que este transporte será assegurado por camiões-cisterna de corporações de bombeiros de oito distritos do país, que já partiram dos seus locais de origem carregados com água. Para tal, tinha sido anunciada uma verba de 250 mil euros, para que os quatro municípios pudessem fazer face às despesas relacionadas com o transporte de água. Posteriormente, o Governo disponibilizou mais 250 mil euros para apoiar uma iniciativa da Águas de Portugal, que veio reforçar o transporte diário, em camiões-cisterna.

Ministro do Ambiente – estará esta tarde em Mangualde- maior operação de sempre de transporte de água em Portugal

Após as exigências formuladas pelas autarquias e pelo presidente da câmara de Mangualde em particular, o governo lança uma ação de reforço de transporte de águas. João Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, estará esta tarde em Mangualde. O Governo, numa ação conjunta do Ministério da Defesa, do Ministério da Administração Interna, do Ministério do Ambiente e das Autarquias, vai levar a cabo uma ação de reforço do transporte de água, nesta que será a maior operação de sempre em Portugal de transporte de água.

O briefing desta operação acontecerá hoje, pelas 15h00, na Base de Apoio Logístico dos Bombeiros de Mangualde, com a presença do Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes.

No dia 16 de Novembro o Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins vem assinar o fundo de apoio ao Município

250 MIL EUROS PARA MEDIDAS CONTRA A ESCASSEZ DE ÁGUA

Assinatura de protocolo esta quinta-feira, dia 16 de novembro, pelas 14h00, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mangualde, com presença do Secretário de Estado do Ambiente

 Esta quinta-feira, dia 16 de novembro, o Secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, desloca-se a Mangualde para a assinatura do protocolo do Fundo de Apoio Ambiental com os Municípios de Mangualde, Viseu, Nelas e Penalva do Castelo. O encontro está agendado para as 14h30, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Mangualde.

São 250 mil euros que este Fundo de Apoio Ambiental irá disponibilizar para os Municípios atingidos pela seca – Mangualde, Viseu, Nelas e Penalva do Castelo – implementarem as medidas necessárias contra a escassez de água.

Não chega mas é uma ajuda

Marcelo em Fagilde

Visita à barragem

Pois é senhor presidente desta vez a coisa não vai com beijinhos aos peixinhos.

Segundo a Lusa – publicado no expresso- “O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, mostrou-se esta sexta-feira espantado por a reserva de água da Barragem de Fagilde, que serve vários concelhos do distrito de Viseu, só ser suficiente para 20 dias de abastecimento.”

“Vinte dias, disse? Vinte dias é o final do mês de novembro, princípio de dezembro”, exclamou Marcelo Rebelo de Sousa, em conversa com os presidentes das Câmaras de Viseu e de Mangualde, Almeida Henriques e João Azevedo, respetivamente, durante uma visita à Barragem de Fagilde. João Azevedo explicou que, para restabelecer os níveis, teria de haver “500 camiões por dia a deitar água dentro da bacia da Barragem de Fagilde”.

Questionado pelos jornalistas sobre se tinha noção desta realidade, Marcelo Rebelo de Sousa disse ter-se apercebido dela ao ouvir, “nos últimos dias, as intervenções dos senhores presidentes de Câmara” e “quando ficou patente que afinal a chuva não vinha”.

O Chefe de Estado disse que a chuva que caiu “foi insignificante”, sublinhando a importância de se confirmarem as previsões de que “daqui a dez dias poderá chover”.

Os autarcas contaram a Marcelo Rebelo de Sousa que, como forma de fazer face à seca, chegam diariamente, em camiões cisterna, 500 metros cúbicos de água a Mangualde e 3.300 metros cúbicos a Viseu. “Tira ‘stress’ da barragem”, explicou João Azevedo.
Almeida Henriques admitiu que o secretário de Estado do Ambiente “tem sido inexcedível” a ajudar a resolver a situação, mas que esta operação está a custar “muito dinheiro” ao cofres da autarquia: 20 mil euros por cada um dos últimos dez dias no caso de Viseu.

“Nós temos uma margem entre os cinco mil euros e os 27 mil euros, com a previsão de termos cerca de 250 mil euros para usar, mas não temos capacidade para aguentar mais do que isto.

E o Governo tem que assumir esta responsabilidade”, frisou João Azevedo.

“O ano seco ficou patente quando se verificou, em setembro e depois em outubro, que não havia a chuva que muitos esperavam. Ninguém pensava que fosse setembro, outubro e estamos a avançar por novembro e tivéssemos a situação que temos”, lamentou.

A Barragem de Fagilde abastece 130 mil pessoas dos concelhos de Mangualde, Nelas, Viseu e Penalva do Castelo.

Abertura Oficial da Feira dos Santos

Abertura Oficial

A cidade de Mangualde volta a ser o palco de um evento secular, que anualmente recebe milhares de pessoas. Durante três dias, a Feira dos Santos retrata a tradição e a modernidade do concelho, numa iniciativa cheia de animação, cultura e costumes tradicionais. O evento arrancou hoje com a cerimónia de abertura oficial que teve lugar no Mercado Municipal Dr. Diamantino Furtado e contou com as intervenções do edil mangualdense, João Azevedo, e do Presidente da Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado. O momento contou ainda com o espetáculo musical de Abel Moura e Isabel Silvestre.

Para João Azevedo “esta feira tem ganho notoriedade e projeção nacional. Tem crescido em qualidade e quantidade, abrangendo todos os setores de atividade. Isso dá força à nossa feira e à nossa terra. Queremos que a feira dos Santos sirva de pólo de atração para quem nunca veio a Mangualde”. Ideia reforçada por Pedro Machado que considera que “esta feira significa a valorização do turismo do interior. São eventos como este que ajudam a atrair pessoas para esta região do interior, valorizando o nosso território”.

ESTE FIM DE SEMANA, A ANIMAÇÃO, A CULTURA E A TRADIÇÃO JUNTAM-SE EM MANGUALDE PARA MAIS UMA EDIÇÃO ÚNICA

Momento do espectáculo musical

 Reforçar a identidade do concelho é um dos objetivos da Feira dos Santos, que todos os anos procura renovar-se. Trata-se de uma feira cosmopolita e de projeção nacional, pensada para os mangualdenses e turistas, com uma elevada dimensão comercial, cultural e social. O programa inclui iniciativas relacionadas com vários setores de atividade, característicos do município.

Durante este fim de semana, o Largo Dr. Couto vai acolher a Mostra de Freguesias de Mangualde, a exposição Mangualde Regional, a XII Mostra de Artesanato Nacional – Manguald´Arte e o espaço de recordação fotográfico “Eu estou na Feira dos Santos de Mangualde!”. A Feira dos Santos à Mesa vai deliciar os apreciadores da comida regional com uma ementa alusiva à iniciativa, que inclui enchidos da região, rojões à moda de Mangualde, febras à Feira dos Santos, requeijão com doce de abóbora, queijo da serra e vinho do Dão, disponível nos restaurantes aderentes (identificados com selo alusivo).

Os apreciadores de vinho também vão poder degustar os produtos locais no Dão Wine Party, no dia 4, e no IV Expovinhos Mangualde, nos dias 4 e 5, duas iniciativas que reúnem os produtores de vinho da autarquia no Mercado Municipal Dr. Diamantino Furtado.

O Encontro Nacional Produtores de Mirtilos decorre nos dias 3 e 4, no Complexo Paroquial de Mangualde. Já nos dias 4 e 5, o Mercado Municipal Dr. Diamantino Furtado vai receber showcookings pelos Chefs Hélio Loureiro, Lígia Santos e Paulo Cardoso com produtos locais, na iniciativa “Santos da Casa Fazem Milagres”.

Na Quinta Alpoim vai decorrer, nos dias 4 e 5, a Agromangualde, uma exposição de máquinas e alfaias agrícolas e será divulgada a fauna selvagem da região, promovida pela CERVAS/Associação Aldeia.

Ainda durante o fim de semana, a Rua 1.º de Maio vai ser o centro da Mangualde Motor, uma exposição de veículos das marcas Citroën, Seat, Ford e Volkswagen (também presente na Rua Dr. José Marques). Terá lugar ainda a Mangualde Transporte – ANTRAM, uma exposição de algumas marcas e modelos de camiões, e a Mangualde Indústria, uma exposição do tecido empresarial do concelho.

Sem esquecer as Artes & Ofícios, haverá pintura ao ar livre nos dias 4 e 5, no Mercado Municipal Dr. Diamantino Furtado e no Largo Dr. Couto, e ainda animação de rua nas várias artérias da cidade, através da Animangualde.