Colóquio “Os novos desafios da educação no território Viseu Dão Lafões”

Primeiro dia do colóquio contou com a participação de mais de 170 professores da região

Mesa de Abertura

A Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões realizou, no passado dia 27 de fevereiro, no auditório da biblioteca municipal de Mangualde, o primeiro dia da 4ª edição do colóquio, subordinado ao tema “Os novos desafios da educação no território Viseu Dão Lafões”, inserido no projeto “Empreendedorismo nas escolas da CIM Viseu Dão Lafões”.
De destacar a presença de mais de 170 professores, de vários níveis de ensino, provenientes de várias escolas da nossa região.
O Presidente do Conselho Intermunicipal da CIM Viseu Dão Lafões, José Morgado Ribeiro, referiu, a título de balanço, “que o primeiro dia de trabalhos do colóquio- Os novos desafios da educação no território Viseu Dão Lafões- foi extremamente positivo, pois proporcionou um espaço de reflexão sobre a visão e a estratégia que a CIM Viseu Dão Lafões tem para o território, quer no âmbito de novas abordagens em matéria de promoção do sucesso escolar, quer para a promoção do empreendedorismo nas escolas”.
O Colóquio, promovido pela CIM Viseu Dão Lafões, em parceria com os quatro Centros de Formação de Professores da Região, reuniu diversos especialistas na área do empreendedorismo e da educação, nomeadamente, o Professor David Justino, Presidente do Conselho Nacional da Educação e ex-Ministro da Educação.
Os cerca de 170 professores da região Viseu Dão Lafões, que participaram nesta sessão, não quiseram, mais uma vez, de deixar de marcar presença num colóquio em que discussão e reflexão de práticas, estratégias e projetos adequados aos novos desafios da educação esteve sempre presente.
De realçar, que a Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, decidiu, este ano, realizar este colóquio, que já vai na sua quarta edição, na cidade de Mangualde, tendo o Senhor Presidente da Camara Municipal de Mangualde, João Azevedo, na sessão de abertura, dado nota deste facto e realçado que esta “descentralização é muito importante para a competitividade dos territórios e para a sua atratividade”. O Senhor Presidente da Câmara Municipal de Mangualde realçou, ainda, “o trabalho extraordinário que a CIM Viseu Dão Lafões tem vindo a fazer no âmbito do empreendedorismo, onde se destaca o projeto de empreendedorismo nas escolas”.
A apresentação de novas abordagens e a apresentação de boas práticas na educação, associado ao desenvolvimento de dinâmicas e atividades pedagógicas (workshops temáticos), serão o foco do segundo dia do colóquio, que terá lugar no próximo sábado, 5 de março, também na cidade de Mangualde.

Socialistas de Mangualde aplaudem decisão sobre a linha da beira Alta

Comunicado do Partido Socialista – Mangualde

“O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques reafirmou no último Conselho Regional da CCDRC (órgão onde estão representados os 100 presidentes de câmara da região centro e que é presidido pelo Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Dr. João Azevedo), que a opção de corredor exportador Norte em termos ferroviários passa pela requalificação da Linha da Beira Alta, num investimento de 690 milhões de euros comparticipados em 85% por Fundos Comunitários para a Coesão. Este investimento terá em conta as devidas concordâncias ferroviárias na Pampilhosa e na Guarda, sendo que para a sua realização vai avançar também a electrificação da Linha da Beira Baixa entre Guarda/Covilhã, o que permitirá uma via alternativa enquanto decorrerem as obras na Linha da Beira Alta, sendo também realizado o investimento de 300 milhões euros em obras na Linha do Norte que permitam o reforço da ligação dos Portos de Leixões e Aveiro à Plataforma de Pampilhosa.

<

p style=”text-align: justify;”>O Partido Socialista de Mangualde congratula-se com esta decisão do Governo, continuando o Concelho de Mangualde numa centralidade que desde 1880 resulta da existência da Linha da Beira Alta.
”

 

Partido Socialista de Mangualde

Marco Almeida

Tagged

Passos decide-te nas críticas.. usa a voz maviosa SFF

Diz e Bem o Daniel Oliveira no expresso que para o Passos:

-O Orçamento  é a continuação da austeridade, mas é uma aventura despesista;

-Deixa tudo na mesma, mas é voluntarista;

-foi totalmente modificado em Bruxelas, mas assustou os mercados;

– não vira a página, mas leva o país a caminho da bancarrota;

– é um assalto à classe média, mas é um Orçamento de campanha. 

Decidam-se lá pafiosos

Já é costume. O Passos fala.. fala.. em voz maviosa… mas limitou-se a deixar andar

OE2016 – Declaração de Pedro Silva Pereira“Neste momento, dos projetos aprovados [ao abrigo do Plano Juncker] de 5,7 mil milhões de euros para infraestruturas e inovação em 15 países não há um único projeto aprovado para Portugal. O governo anterior não cuidou de garantir que os projetos portugueses estivessem em condições de ser aprovados. E depois, na outra vertente, em que foram já aprovados projetos em 1,8 mil milhões de euros para apoio ao financiamento das pequenas e médias empresas, aí houve três acordos de financiamento para Portugal e os destinatários foram os bancos”