Nicolau Santos: Passos Mentiu

Nicolau Santos

Mas diz mais:

“Não é, pois, que não desconfiássemos. Qualquer economista de meia tigela percebe que os grandes cortes de despesa pública de que o anterior Governo tanto se orgulha concentram-se, no essencial, em cortes de salários e de pensões que foram sempre anunciados como provisórios. E a melhoria das contas públicas assentou em grande parte na subida substancial da receita fiscal, também ela anunciada como provisória.

A margem é estreita? É. O orçamento tem vários riscos? Tem. Mas talvez seja bom lembrar que nos quatro orçamentos elaborados por PSD e CDS houve oito (repito: oito!) orçamentos retificativos e Bruxelas teve sempre de puxar para cima as metas acordadas para o défice e ignorar mesmo a descida exigida de meio ponto anual no défice estrutural. Porque é que devemos acreditar mais na fiabilidade dos orçamentos de Passos e Portas do que no de António Costa e Mário Centeno?

O que nós não sabíamos é que Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque deram a entender ou garantiram mesmo aos seus pares na Comissão Europeia e no Eurogrupo que os cortes seriam definitivos, assim como a subida dos impostos. É claro que os importantes senhores da Comissão e do Eurogrupo, sempre tão atentos quando as coisas não lhes agradam, não se preocuparam minimamente em saber se o que Passos e Maria Luís diziam externamente coincidia com o que garantiam internamente. Ou se souberam não se importaram nada com a duplicidade do discurso. Como eles sobejamente sabem, os portugueses são um povo manso e de brandos costumes que aceitou de mão estendida e cerviz dobrada o brutal ajustamento que lhes foi imposto durante quatro anos, baseado em erros económicos grosseiros, cálculos financeiros mal feitos, desigualdade de tratamento com outros países como sobejamente demonstra o recente relatório de avaliação do ajustamento por parte do Tribunal de Contas Europeu.”

E a PAF cá nos lixou outra vez

Pois foi o BANIF, a devolução da sobretaxa, a utilização da famosa almofada… faltava cá isto:

A PAF dizia que os cortes nos salários eram temporários, quando falava para Portugal, mas para a Europa dizia que eram definivos e incluía esses cortes na alteração do défice estrutural.

Lindo- a mentirazita do costume

É evidente que os cortes transitórios não eram estruturais e a reversão desses cortes não pode ser estrutural.

Vá lá então falar de resultados

Perdemos é verdade. As coisas são assim. Perdemos por pouco. Bastava convencer 1% dos eleitores a mudar de opinião. Portugal perdeu a oportunidade de ter um grande presidente , um verdadeiro SENHOR e vamos ter um artista de variedades. Sampaio da Nóvoa esteve sempre a aumentar o número de votos e Marcelo a descer.

Os resultados genéricos foram os seguintes:

Resultados  Nacionais

Resultados em Mangualde

Notas essenciais:

1-Um resultado global acima de 22% por parte de Sampaio da Nóvoa, sempre em crescendo;

2-Mangualde teve em Sampaio da Nóvoa  um resultado superior à média nacional;

3-Mangualde teve um resultado muito superior ao resultado do distrito;

4-Mangualde teve o melhor resultado do distrito de Viseu;

5-Samapio da Nóvoa perde as eleições em Lisboa, Porto, Setúbal e Alentejo. Ou seja perde onde o candidato do PCP falhou totalmente. Parte do eleitorado comunista votou Marcelo;

6-O Bloco afirma-se e define-se;

7-António Costa safou-se sem grandes problemas;

8-Maria de Belém foi esmagada. A sua candidatura favoreceu Marcelo. Era uma candidatura lançada pelos seguristas. Espero que nos deixem em paz;

9-Ter um candidato como Tino que esteve quase sempre à frente de Belém … demonstra que este eleitorado prefere os comediantes da televisão.( em Mangualde ficou a 8 votos de Belém.)

10-Uma nota pessoal. Foi um grande prazer fazer esta campanha. Uma candidatura de velhos e novos amigos, uma candidatura que juntou pessoas de várias tendências partidárias, uma candidatura que acreditou que seria possível ir à segunda volta e ter um presidente a sério em Portugal.Tentámos. Outros nem isso. E tinham obrigação de o fazer. Os meus Parabéns pelo empenho, dedicação e trabalho ao grupo que mais se envolveu nesta candidatura em especial aos dois mandatários: Inês Coelho e Rui Ardérius.

 

 

Votar Sampaio da Nóvoa – texto de Inês Coelho

Sampaio da Nóvoa com Inês Coelho e Rui Ardérius

 

udo ou quase tudo já foi dito sobre o Dr. Sampaio da Nóvoa, mas a poucos dias do acto eleitoral, sinto necessidade de deixar aqui algumas palavras que resumem o que tenho vindo a defender desde o dia em que Sampaio da Nóvoa tornou pública a sua candidatura. 

A sua cultura, a sua inteligência, o seu empenhamento social, o seu gosto pelas artes, pela literatura, o seu percurso académico e pessoalfazem dele um homem singular e marcante. Notável dentro da política, mas também e sobretudo fora dela.
Sampaio da Nóvoa não é só mais um político! É um homem, um humanista, um cidadão independente dotado de uma capacidade cívica, intelectual e emocional muito pouco comum.

Portugal está numa situação extraordinariamente grave!
É urgente que tenhamos um Presidente que não seja apenas mais um espectador e que intervenha. Que intervenha não só na vida política, mas que se preocupe também com as pessoas; com o futuro dos jovens que todos os dias se vão embora e que nos deixam mais pobres e o país para onde partem mais rico; que estimule a cultura; que promova a educação e a ciência.

Portugal não pode continuar a ser um país de desigualdades tão acentuadas e cada vez mais evidentes. 
Portugal não pode continuar a ser o país da precariedade; o país dos recibos verdes; o país dos estágios inventados para reduzir os números do desemprego.
Portugal não nos pode continuar a formar, a qualificar e a empurrar para uma emigração forçada.

Eu, da mesma forma que muitos jovens, queremos poder construir o nosso futuro neste país; queremos constituir família neste país, queremos poder aprender com quem tanto já fez pelo nosso País; queremos continuar a ser parte integrante de Portugal!

E é por “querer” tanta coisa, por achar que há tanta coisa por fazer e que pode vir a ser feita; por ter tanta esperança nesse “tempo novo” que apoio esta candidatura e que vos peço que agarrem esta oportunidade…

Não a desperdicem; passem a palavra e sirvam esta causa que tem unido os Portugueses de Norte a Sul do país. 

No dia 24 vamos todos às urnas!

Vamos votar Sampaio da Nóvoa e fazer dele o NOSSO Presidente da República

#SNAP2016 #Portugal #Mangualde

Autarquia assina protocolos e contratos com freguesias

protocolo

Como forma de continuar a promover a proximidade com as Juntas de Freguesia, a Câmara Municipal de Mangualde levou a cabo a assinatura dos contratos interadministrativos de delegação de competências e protocolos de colaboração com as juntas de freguesia do concelho para o ano de 2016. Na assinatura dos referidos contratos marcou presença o edil mangualdense, João Azevedo, e os vários Presidentes de Junta do concelho.

 Os contratos assinados representam um valor de aproximadamente 850 mil euros em recursos financeiros, patrimoniais e humanos da autarquia que podem ser alocados às juntas de freguesia para o exercício das competências delegadas bem como para o exercício das próprias competências das juntas durante o corrente ano. Os documentos agora outorgados visam regular as relações jurídicas de coordenação colaboração entre a autarquia e as juntas de freguesia permitindo às entidades da administração pública uma maior flexibilidade e capacidade de adaptação aos novos desafios, exigências da gestão autárquica e fundamentalmente na concretização de serviços e ações de proximidade nos domínios dos interesses da populações e comunidades locais.

Professora com 3 cancros obrigada a ir trabalhar. Mais uma vez se atinge o limite da vergonha nacional

Correio da manhã. Clique para ouvir

Não é caso único. Já tive colegas que praticamente foram forçadas a morrer na sala de aula. É um sistema profundamente vergonhoso…. enfim é difícil encontrar palavras.

Um burocrata qualquer acha que pode sempre trabalhar. As aposentações são concedidas, quando são, se a pessoa estiver mesmo a morrer.

E na escola se tiver um director à maneira ainda vai ter mesmo de dar aulas e se for preciso assim a uns vocacionais jeitosos. É que os directores pouco podem fazer do ponto de vista legal. Podem ter alguma réstia de humanidade … mas isso nem todos.  É que o sistema não garante sequer, um serviço a 50% ou um trabalho que não seja estar com alunos em sala de aula. Nada. vai como um professor jovem e saudável.

E com esta ou outras doenças , são muitos os professores em situações semelhantes