Continuam os investimentos em Mangualde

A empresa Azurmetal, metalurgia Azurara Lda. adquiriu cerca de 14.000m2 de terrenos ao município de Mangualde para a construção de novas instalações industriais que permitirão à empresa criar as condições necessárias para dar resposta ao incremento da sua produção e expansão desta unidade fabril de metalomecânica em Mangualde. A Azurmetal emprega atualmente cerca de 50 colaboradores e prevê um investimento faseado na nova unidade fabril permitindo também a criação no futuro próximo de novos postos de trabalho.

 Para o presidente da Câmara Municipal de Mangualde, João Azevedo, «trata-se de mais uma boa notícia para Mangualde. Hoje fico satisfeito por termos criado as condições necessárias para que a Azurmetal se mantenha em Mangualde por muitos anos e ao mesmo tempo possa crescer por forma a criar mais emprego, melhores condições de trabalho e espero um aumento da sua produtividade e desempenho».

«AS NOTÍCIAS RECENTES DE NOVOS INVESTIMENTOS EM MANGUALDE SÃO MUITO POSITIVAS (…) A AUTARQUIA TEM FEITO NOS ÚLTIMOS MESES UM GRANDE ESFORÇO PARA ATRAIR INVESTIMENTO E CRIAR CONDIÇÕES PARA MANTER O EXISTENTE E ISSO SÓ É POSSÍVEL GRAÇAS AO BOM DESEMPENHO FINANCEIRO DA AUTARQUIA» – João Azevedo

 João Azevedo afirma ainda que «as notícias recentes de novos investimentos em Mangualde são muito positivas, mas temos também que olhar para o tecido empresarial existente que muito tem contribuído para que o concelho seja uma referência industrial na região e encontrar soluções para que possam expandir os seus negócios, para que possam crescer e com isso trazer mais emprego, mais riqueza para o concelho». Reforça ainda que «a autarquia tem feito nos últimos meses um grande esforço para atrair investimento e criar condições para manter o existente e isso só é possível graças ao bom desempenho financeiro da autarquia.»

«(…) TEMOS A NOÇÃO CLARA DA IMPORTÂNCIA REGIONAL DO INTERFACE MODAL GERADO EM MANGUALDE EM

MATÉRIA DE MOBILIDADE COM A FERROVIA, AS ACESSIBILIDADES VIÁRIAS E O TECIDO EMPRESARIAL LOCAL» – João Azevedo

Contudo, o autarca afirma que «há muito trabalho a fazer, temos uma estratégia bem definida para os espaços industriais existentes e novos espaços a serem criados bem como temos a noção clara da importância regional do interface modal gerado em Mangualde em matéria de mobilidade com a ferrovia, as acessibilidades viárias e o tecido empresarial local. Há uma procura contínua de investidores/empresários para se localizarem em Mangualde e tudo faremos para a criação de emprego e fortalecimento do tecido empresarial em Mangualde, sendo esta a garantia futura para que as pessoas se fixem no território e não tenham que sair de Mangualde. É uma prioridade deste executivo combater o desemprego, a pobreza com medidas e decisões que promovam a criação de emprego e o desenvolvimento económico local e isso só é possível com a fixação de empresas e captação de investimento privado».

Marcelo é preciso ler … a memória falha

Votação do projecto que deu origem ao Serviço nacional de Saúde

“Marcelo Rebelo de Sousa, a propósito das críticas que agora lhe foram dirigidas por ter, até há meses, apoiado os cortes no SNS, invoca perante as câmaras das TVs ter já uma idade considerável e que, desde o início, sempre ele e o seu partido apoiaram o SNS.
Admitindo que dita senectude de MRS ainda lhe não tolde a memória, a questão será mesmo de falta de pudor: é que o projecto de lei que deu lugar à lei 56/79 – e que criou o SNS – teve os votos contra do PSD e do resto da Direita. Marcelo até pode estar arrependido do gesto, mas isso não lhe dá o direito de tentar falsificar a História…
(e, já agora, para que se não esqueça, teve, esse PJL, três proponentes: a saber, António Arnaut, Mário Soares e Salgado Zenha)”

texto de Filipe Brandão

 

Sampaio da Nóvoa – na TVI

Foto Observador

António Sampaio da Nóvoa, candidato presidencial, diz em entrevista à TVI que a responsabilidade de casos como os da morte no Hospital São José “tem de ser atribuída ao governo anterior, por [ter culpa] de grande parte daquilo que foi a degradação do Serviço Nacional de Saúde”. Sem referir inicialmente o nome, critica Marcelo Rebelo de Sousa por, diz Sampaio da Nóvoa, não ter defendido o Estado Social nos comentários que fazia na TVI. Por estas e por outras, o candidato presidencial diz que “as eleições vão ser disputadíssimas”.

Sampaio da Nóvoa diz que há muitos anos defende o Estado Social e, ao longo desses mesmos anos, “muita gente não levantou a sua voz, não denunciou estes casos”. “Agora é fácil ter atos e gestos de solidariedade depois de não ter lutado na altura devida”, afirma Sampaio da Nóvoa à TVI. E quem era essa “muita gente”? “Nomeadamente candidatos presidenciais e até mesmo aqui [na TVI] gente que, comentário após comentário, afirmou que não havia alternativas”.

Fonte Observador

O país foi levado à bancarrota pelos governos Sócrates. Mas depois…

Hummm pois .. Era o que diziam os PÁFISTAS. O país foi levado à bancarrota pelos governos Sócrates. Mas depois… depois veio o Coelho e comeu. E depois foi com o Pai Natal ao circo cantarolar lá-lá-lá e rir-se muito dos  palhaços. ( ou seja, nós)

Mas vejamos este artigo interessante

Do Jornal Económico